All in mindset

Quais perguntas nada confortáveis você deve se fazer

Com certeza você alguma vez já se pegou dizendo "se olha no espelho", "olha pro seu próprio umbigo", ou alguma variável dessas máximas que remetes a auto-reflexão.

Está tudo muito bem trazer esse tipo de lembrete à tona quanto o problema parece estar com O OUTRO, mas e quando o problema é unicamente nosso? Será que temos sempre a coragem de enfrentar a realidade de cara e fazer o que é necessário para mudar o jogo?

Essa pergunta só cabe a cada um responder. Mas, da minha parte, sei que a resposta não é sempre "sim." Como qualquer ser humano falho, também tenho meus momentos de fraqueza e de achar que é mais fácil "empurrar com a barriga", "tapar o sol com a peneira", e não fazer o esforço para mudar.

Não aceite NÃO como resposta!

O artigo de hoje não se trata de uma fórmula mágica ou de encorajamento para que você torture e persiga as pessoas até que elas lhe deem o que você quer ou precisa. Não!

Vou falar com você sobre a importância de não dizer NÃO a si próprio, perante as dificuldades e desafios de empreender seu próprio negócio – especialmente no mundo digital.

Graças a empreendedores “sensacionalistas” que vendem info-produtos baseados na chamada de que é possível fazer milhões saindo do zero, da noite para o dia, e que sua vida profissional e financeira pode se transformar em um piscar de olhos ao ‘simplesmente’ criar um negócio digital – surgiu uma maré de pessoas que começam a empreender e acabam desistindo, pois se deparam com diversos fatores não tão agradáveis, e que não são tão claramente divulgados nos belos contos do empreendedorismo digital.

Como se diferenciar de competidores que estão à sua frente

“Você não é todo mundo!”

Já ouviu sua mãe dizendo isso (incontáveis vezes)? Pois saiba que ela estava certinha!

E ‘não ser todo mundo’ é justamente um dos ingredientes que te destaca entre seus concorrentes, independente do seu nicho de atuação.

A resposta para a pergunta do título – como se diferenciar dos competidores que estão a sua frente – é justamente essa: Seja autêntico. Se beneficie da maravilha que é ser você mesmo!

Você está empacado com mentalidade de vítima?

É comum sucumbir ao cansaço de tantas lutas diferentes da rotina e acabar por sentir pena de si mesmo, enxergar que todo o mundo avança, brilha ou tem sucesso, enquanto você pensa que não consegue nem dar um passo do tamanho da perna.

Veja bem, eu disse que é comum, mas está longe de ser normal, ou ainda, saudável.

Na verdade, uma das coisas que separam aquelas pessoas bem sucedidas, que você admira ou acompanha, das pessoas medianas, é justamente essa mentalidade de vítima, que você deve evitar a qualquer custo!

O que Michael Phelps pode te ensinar sobre seus negócios

Como de se esperar, Phelps não decepcionou. Se consagrou mito olímpico, mais do que já era antes de pisar os pés no Rio. Mas sabe o que foi mais interessante de tudo, e que tem a ver com a SUA (e com a minha) jornada empreendedora?

É que na última prova da qual participaria, Michael Phelps tinha um concorrente feroz, que por acaso já tinha deixado sua marca tomando o primeiro lugar durante a prova de qualificação para a final. Esse concorrente? O Sul-Africano Chad le Clos. 

le Clos já tinha frustrado Phelps em Londres. E agora, no Rio, tinha aumentado a frustração do Americano ao se classificar para a final em primeiro lugar. De quebra, ainda provocou Phelps durante o aquecimento e antes da largada da prova, com movimentos de boxing e encarando-o descaradamente.

Esses foram os primeiros sinais da fraqueza de le Clos.

Sim, primeiros. Porque foi dali pra baixo. E no vídeo de hoje, eu explico melhor como isso aconteceu e como você deve agir para não cometer o mesmo erro que le Clos nos seus negócios.

O que é mindset, e como mudar ou fortalecê-lo?

Ah, mindset!

Certeza absoluta que você já escutou essa palavra sendo usada pra lá e pra cá. 

Talvez você seja um daqueles que ironiza, pensando, "Essa galera que só fala de mindset e evangelho da prosperidade é doida." Talvez você seja adepto e acredite, pensando, "Mindset é mesmo tudo." E talvez ainda você seja uma daquelas pessoas que não tem ideia alguma do que essa palavra realmente signifique e porque ela é tão importante para o seu sucesso.

Competição ou ambição: Qual melhor opção para seu negócio?

Já imaginou que a forma como você usa a competição ou a ambição, gera impactos positivos ou negativos em seu negócio, e até mesmo em sua vida pessoal?

Talvez você esteja se perguntando: "Mas Priscila, não se trata da mesma coisa?"

E eu te digo que não! Existem diferenças entre ambas, e justamente por elas não serem mutuamente exclusivas, posso afirmar que, para o empreendedor, ter ambição pode ser muito melhor do que ser competitivo.

Entenda a diferença entre competição e ambição, e saiba como isso pode te auxiliar a ter o mindset de um empreendedor de sucesso.

A conexão que determina seu sucesso ou fracasso ao criar um curso

Existe UM fator que muitas pessoas ignoram ou subestimam quando decidem se emprenhar no seu processo de criação de um curso, e que faz toda a diferença no seu sucesso OU fracasso nesta jornada. Este mesmo fator também está ligado ao seu sucesso pessoal e profissional.

Sabe o que é?

Bem, neste vídeo e post de hoje, vou revelar este fator para você. Desta forma, poderá usar este conhecimento a seu favor para fazer com que o sucesso seja aquilo que colhe como resultado dos seus esforços.

Como usar seus pontos fortes a seu favor?

Um problema comum que surge quando fazem testes comportamentais, é que as pessoas acabam focando nas suas fraquezas, ao invés de focar em seus pontos fortes.

E por que isso é um problema?

Primeiro, porque focar na fraqueza faz com que as pessoas se sintam inadequadas, e acabem usando isso como justificativa para procrastinar ou ficar totalmente paralisadas.

Segundo, porque elas acabam acreditando e seguindo a "lógica" de que se focarem em melhorar seus pontos fracos, ficarão mais equilibrados e serão melhores de forma global.

Busque o progresso, não a perfeição

Você é (ou já foi) um perfeccionista de plantão?

Eu me identifico demais com esse rótulo, porque sou o que gosto de me chamar de “perfeccionista em recuperação.” E posso te dizer… nada me emperrou mais na vida do que buscar o perfeccionismo.

Infelizmente, passei grande parte da minha vida achando que ser perfeccionista era algo a ser admirado, mas a verdade é que foi essa qualidade que mais me segurou e me deixou para trás em inúmeras ocasiões, quando o meu intuito era o oposto: de me impulsionar.

Evite esse erro comum ao traçar metas

Se você é como eu e a maioria das pessoas, então já traçou alguma meta na sua vida antes—seja lá qual tenha sido o tipo de meta.

E se você também é como a maioria das pessoas, as chances são grandes que você está cometendo um erro muito comum ao iniciar esse processo.

Erro este que faz uma diferença gigantesca.

E acredite, sei disso porque já passei por essa experiência e aprendi essa lição da maneira mais difícil.

3 coisas que aprendi com a derrota

Você já passou por uma situação na qual a maré parecia estar indo à seu favor e de, repente, tudo escorregou pelos seus dedos de uma maneira que te pegou totalmente de surpresa?

Junte-se ao clube!

Eu já tinha passado por isso antes, mesmo porque com mais de três décadas de vida seria algo muito incrível (e, verdade seja dita, triste) nunca ter tido esse tipo de experiência. 

Contudo, a derrota que acabei de provar semana passada foi dessas estilo divisor de águas. Marcante.