Competitividade não é sobre vencer

Competitividade não é sobre vencer

É sobre o que então?

 

Lembra da frase “o importante é competir”? É mais um daqueles tradicionais ensinamentos que ouvimos durante toda a infância, mas sobre o qual nem sempre fomos ensinados a pensar direito.

 

E que ainda assim, é natural passarmos adiante, especialmente para os filhos.

 

Mas o que isso significa de fato? Porque competir, e porque isso pode ser importante?

 

Em seu artigo “O conceito de competitividade da empresa: uma análise crítica”, Fábio L. Mariotto diz o seguinte:

 

A competitividade de uma empresa pode ser compreendida como a capacidade da empresa de explorar, em seu proveito, a estrutura e os padrões de concorrência do mercado em que atua (ou quer atuar) e, assim, conseguir rentabilidade a longo prazo.

 

Podemos perceber que a competição corporativa não necessariamente parece ter o mesmo sentido da frase que ouvíamos quando crianças, não é?

 

A necessidade de permanecer no mercado, impulsiona sempre no sentido de copiarmos, seguir tendências (ou templates) que deram certo.

 

E como é possível somente competir, quando é do ganhar que depende a sustentabilidade de um negócio, e até da nossa sobrevivência, certo?

 

Competitividade na verdade é ter determinação para enfrentar desafios, com a certeza de que você está dando o SEU melhor, independente do resultado final.

 

Pois competição na verdade, se trata justamente disso: você entregar o seu melhor, sabendo que a cada dia que passa, está trabalhando também para ficar melhor ainda.

 

É sobre superar-se. Mostrar seus diferenciais.

 

E qual é o seu melhor? Você está fazendo o melhor para o seu negócio agora - sabendo que isso pode levá-lo além? Além do que está hoje, e não além do seu “concorrente”.

 

Quando você começar a se dar conta disso, e assumir essa postura, irá entender também que concorrência  pode ser um termo relativo - mas isso já é assunto para outro dia.

priscila-hinkle-competitividade-vencer.jpg

Hoje foque em como você pode mostrar seus diferenciais, viver a condição de competição que nos foi passada há tantos anos. E perceber como é impossível perder, ao buscar fazer sempre mais.


 

Como aplicar esse conceito dentro do negócio de cursos online?

 

Essa, na verdade, é uma resposta muito particular. Tudo depende da sua área de atuação e até mesmo de quem você é como pessoa.

 

Você, melhor do que ninguém, tem a capacidade - a princípio - de saber os pontos onde pode melhorar dentro e fora do seu negócio.

 

Mas independente disso, existem duas coisas que não falham, no que diz respeito a ir além no mundo digital:

 

1. A linguagem que você fala

2. A sua entrega

 

Ao buscar melhorar sua comunicação, com foco em vendas, mas sem esquecer que está lidando com pessoas, você vai lidar diretamente com o cara do outro lado, que faz seu negócio acontecer: seu cliente.

 

Desenvolver a empatia, e a habilidade empática para os negócios, com certeza é uma tendência daquelas que ficam para sempre.

 

Observe a Netflix, por exemplo, como eles se comunicam na mídia. É possível perceber o engajamento do público com a marca. E os clientes não gostam porque eles fazem. Eles fazem porque o cliente deles gosta.

 

(Isso não quer dizer que você precisa copiar a Netflix, apenas comprova que conhecer bem às características humanas da sua futura clientela, dá resultado).

 

Invista em desenvolver uma comunicação humanizada, conhecendo quem está do outro lado. Seu negócio não é para você. Você não vende para você.

 

E vendeu, precisa entregar certo?

 

Entregar qualquer coisa? Ou entregar o que prometeu com aquele toque especial de mais um pouco? Apenas uma das opções fazem clientes se multiplicarem, hehehe.

 

Avalie e se programe para melhorar esses dois pontos em seu negócio, e a própria prática irá te levar a busca por outras e novas melhorias.

 

O próprio Mariotto disse - no mesmo artigo do início do texto - que “a atual popularidade da noção de competitividade é útil e oportuna, mas a empresa não deve desmerecer outras considerações estratégicas”.

 

Se lá em 1991 ele já dizia que somente ficar copiando tudo não era certeza de sucesso, como isso poderia ser diferente agora, não acha?

 

Abraços,

Priscila


 

PS: Há algum tempo escrevi um texto falando sobre a diferença entre ambição e competição, e como era o impacto de assumir uma posição ou outra com relação ao seu negócio. Recomendo que você leia se tiver interesse no assunto, pois ele é complementar ao que estamos falando aqui hoje. =)

 

PS 2: Você pode ler na íntegra o artigo científico citado no texto, clicando aqui. =)



Como passar a mensagem certa para sua audiência com sua imagem pessoal

Como passar a mensagem certa para sua audiência com sua imagem pessoal

Práticas exemplares de liderança

Práticas exemplares de liderança