Empreendedorismo Positivo: uma nova forma de pensar (e viver) a vida pessoal e profissional

Empreendedorismo Positivo: uma nova forma de pensar (e viver) a vida pessoal e profissional

Quando tive meu primeiro contato com o empreendedorismo, lá na década de 90, lembro de ter lido em um livro que os empregos em algum momento acabariam.

 

Na época, tal informação me surpreendeu: afinal, como seria isso? Ficava imaginando um futuro inspirado no desenho dos Jetsons, com carros voadores, robôs e todo aquele aparato tecnológico.

 

Embora não tenhamos chegado a tanto, hoje é possível perceber que muita coisa já mudou. Tiago Mattos, autor do livro “Vai lá e faz”, reitera a informação quando afirma que “não vivemos uma Era de mudanças, mas uma mudança de Era”.

 

Em seu livro, Tiago aborda as mudanças ocorridas na humanidade: Era Agrícola, Era Industrial e, por fim, a Era digital.

 

Segundo o autor, nesta última Era, as mudanças estão acontecendo mais rapidamente, mas a mentalidade utilizada pela sociedade ainda está associada à Era industrial, na qual o pensamento é linear, repetitivo, segmentado e previsível.

 

Acompanhar o ritmo dessa mudança nem sempre é fácil. Até outro dia, as pessoas esperavam aposentar-se para viver seus sonhos. Hoje, já se sabe que para isso acontecer, é preciso abrir mão de velhos padrões e abrir-se para o novo; isso se quiser viver ao invés de sobreviver.

 

Dessa forma, ninguém melhor que uma pessoa com perfil empreendedor para fazer a mudança de padrão acontecer. E por que o empreendedor?

 

Segundo Dorneles (2017), “os empreendedores são pessoas diferenciadas, que possuem motivação singular, são apaixonadas pelo que fazem, não se contentam em ser mais um na multidão, querem ser reconhecidas e admiradas, referenciadas e imitadas, querem deixar um legado”.

 

Vale esclarecer que um empreendedor não nasce pronto O empreendedorismo é uma competência humana que pode e deve ser desenvolvida.

 

E diferente do que muitos acreditam, um empreendedor não é apenas aquela pessoa que trabalha por conta própria, ele também pode estar dentro das empresas, onde é conhecido como intraempreendedor.

 

De acordo com Hilsdorf (2015), os empreendedores são pessoas comuns que fazem coisas extraordinárias, possuem determinação, disciplina e conhecem e aplicam suas forças de forma a realizar seus sonhos.

 

De acordo com a descrição desses dois autores e de tantos outros que falam sobre esse assunto, o empreendedor é visto como alguém repleto de atitudes e características positivas.

 

Sendo assim, percebo a Psicologia Positiva como sendo o melhor método para desenvolver empreendedores, não apenas pensando no viés profissional, afinal, um empreendedor precisa estar congruente em todas as áreas de sua vida.

BRASIL_Pinterest_3 (12).jpg

O que é Psicologia Positiva?

 

A Psicologia Positiva trata-se de uma ciência que tem como objetivo a valorização do que o ser humano tem de melhor, de forma a contribuir para o alcance da felicidade e do bem-estar.

 

O responsável por esse trabalho é o psicólogo Martin Seligman, considerado o pai da Psicologia Positiva, que desenvolveu inicialmente a Teoria da Felicidade Autêntica, e mais tarde, ampliou seu trabalho para a Teoria do bem-estar, com o objetivo de aumentar não apenas o florescimento humano, mas também o florescimento do planeta.

 

Tal Teoria é um constructo representado por cinco elementos mensuráveis, conhecidos através do acrônimo PERMA (em inglês), que são:

 

  •  Emoções positivas
  •  Engajamento
  •  Sentido
  •  Realização
  • Relacionamentos positivos.

 

Através da Psicologia Positiva é possível identificar e desenvolver as virtudes e forças pessoais, os talentos e pontos fortes, ampliar a auto eficácia, desenvolver o otimismo, trabalhar o perdão, desenvolver a resiliência e, principalmente, trabalhar a auto responsabilidade.

 

Sendo assim, a Psicologia Positiva pode e vai além da clinica, estando presente em outras áreas de atuação, quer seja em empresas, como escolas.

 

O trabalho desenvolvido por Sonja Lyubomirsky e outros pesquisadores acerca da felicidade pode ajudar a ilustrar bem os pilares da Psicologia Positiva e seus benefícios no desenvolvimento do empreendedorismo.

 

No estudo concluiu-se que os fatores para se alcançar a felicidade estavam relacionados a três elementos: genética, circunstâncias da vida e atividades intencionais. Observaram que 50% estão relacionados à genética, 10% às circunstâncias da vida e 40% às atitudes intencionais.

 

Dessa forma, é possível observar que somos os principais responsáveis por nossa felicidade. Para desenvolver essa felicidade é importante estar comprometido com o próprio processo e também investir em algumas atividades essenciais, tais como: gratidão, otimismo, perdão, cuidados com o corpo e a mente, entre outros.

 

Uma atividade fácil de implementar é a das três bençãos, cujo objetivo é registrar diariamente três coisas que tenham sido significativas em sua vida, por menores que sejam. Em três meses de repetição deste exercício já há diferença significativa na percepção de felicidade.

 

A Psicologia Positiva deseja levar o indivíduo a viver sua própria história da melhor forma possível, minimizando possíveis danos oriundos dos pontos fracos e maximizando seus pontos fortes:


Hoje, num mundo onde qualquer um pode ser protagonista, ou você age, ou alguém age por você.
— Tiago Mattos

Abraços,

Soraya Farias



3 hábitos que te atrapalham construir um bom curso online

3 hábitos que te atrapalham construir um bom curso online

Pinterest: Ferramenta de trabalho e ideias

Pinterest: Ferramenta de trabalho e ideias