O erro em fazer suposições

Suposições... Algo que todos nós fazemos em alguma altura do campeonato - seja na vida pessoal ou profissional.

 

Em um dia, quantas vezes “achamos” algo? Eu sei que no meu caso, pelo menos, ao responder essa pergunta honestamente, não impressionaria positivamente.

 

No passado, já tratamos sobre a importância de conhecer seu público alvo e seu cliente ideal.

 

Algo que só conseguimos através de pesquisas – e não através de supor isso ou aquilo.

 

Mas o fato é que pesquisar, é um hábito indispensável durante toda a vida útil de um negócio.


Como o próprio nome sugere, pesquisar é obter informações. Quanto maior o número de informações relevantes que você obtém, e processa de maneira correta, maior será o sucesso de sua marca.

Sem a pesquisa de mercado, um empreendedor é como um cego em meio a um tiroteio. Pode até se salvar de uma bala, mas com certeza sairá dessa situação ferido, ou ainda, não fará ideia do caminho para onde ir.

 

Em 2015 gravei um vídeo onde conto uma situação que vivenciei e que ilustra muito bem o grande perigo de agir, tomar decisões, baseando-se em suposições.

 

Assista para saber exatamente o que aconteceu e em seguida, não deixe de conferir as informações valiosas sobre o que as pesquisas podem fazer por você – e pelo sucesso dos seus negócios!

Agora que você assistiu ao vídeo, vamos mergulhar um pouco mais no processo de evitar suposições e conduzir pesquisas adequadas.

 

Existem dois tipos de pesquisa que sua empresa provavelmente vai precisar: pesquisa primária e pesquisa secundária.

 

Vamos explorar um pouco de cada para que você possa saber quando usar cada uma, e como combiná-las para sua própria vantagem.

 

Pesquisa Primária

Existem dois tipos de pesquisas iniciais de mercado: a pesquisa primária e a pesquisa secundária.

 

O momento ideal da pesquisa primária é quando você tem aquela ideia brilhante para um curso ou produto. Você deve pesquisar:

  • Marcas e empresas concorrentes e como atuam;
  • Relação custo-benefício de seu empreendimento, incluindo os investimentos iniciais que precisará fazer (no caso de um negócio digital, coloque aqui seu tempo, plataformas diversas, e-mail marketing, contratação de serviços terceirizados como produção de conteúdos e artes visuais, compra de equipamentos tecnológicos como um bom computador, celular ou câmera de vídeo, se for o seu caso, e tudo o mais que for necessário para viabilizar seu projeto) utilizar a fórmula do ROI é interessante aqui;
  • Demanda do mercado – é realmente indispensável que seu cliente precise daquilo que você irá oferecer;
  • Público alvo e cliente ideal – quem são? O que querem? Do que precisam? São muitas perguntas a fazer nesse ponto.

 

Pesquisa Secundária

Já a pesquisa secundária, acontece quando diversos aspectos do negócio foram pré definidos e você utiliza pesquisas realizadas anteriormente por terceiros, como por exemplo o IBGE, para embasar o dados que já coletou ou para visualizar diferentes perspectivas de seu público ou do mercado.

 

Traçar um paralelo entre as informações desse tipo de pesquisa, com as informações coletadas por você, é interessante até mesmo para entender se o seu produto é capaz de atingir de fato o público alvo que você idealizou.

 

Entretanto, apenas criar perguntas e encontrar pessoas que possam responde-las, não significa sucesso para uma pesquisa. É necessário que você faça perguntas coerentes com aquilo que busca saber e as faça para pessoas certas.

Se você desenvolve um produto relacionado a saúde e bem estar, voltado para mulheres, entre 20 e 30 anos, de nada adiantaria obter respostas de um homem, ou ainda de uma mulher com 40 anos, certo?

 

Ainda dentro desse exemplo, perguntar algo do tipo, qual estilo de música você consome, traria alguma informação relevante para o produto que está construindo?

 

Tome o cuidado para construir perguntas que de fato auxiliem a entender melhor quem é seu cliente ideal, e não apenas obter um amontoado de informações sobre ele.

 

Pesquisa de satisfação do cliente – Feedback

Se você já implantou seu negócio, pesquisar o mercado e a concorrência periodicamente ainda se faz necessário. Mas a pesquisa mais essencial é aquela realizada com pessoas que consumiram seu produto ou contrataram seus serviços.

 

Obter feedback de quem está em contato com sua marca é essencial para constatar modificações ou permanências que devem ocorrer, seja na estrutura de seu produto ou curso, seja no modo como o entrega, e até mesmo na maneira com que se relaciona com seus clientes.

 

No caso de cursos online, é muito interessante disponibilizar pesquisas após o final de cada etapa ou módulo, tanto para acompanhar o desenvolvimento de seu aluno, quanto para obter informações relevantes de pontos específicos de seu curso.

 

Mas como fazer pesquisas?

 

No que diz respeito a lidar com seu prospecto ou cliente, você pode realizar as pesquisas primárias e de satisfação de três maneiras:

 

1. Contratar consultorias especializadas

É interessante, pois deixamos esse serviço nas mãos de quem possui a prática e as ferramentas ideais para fazer isso. Porém, há alguns fatores importantes a serem observados na empresa contratada, como a metodologia que eles utilizam e o tratamento estatístico que dão aos dados coletados.

 

Além disso, tem um custo geralmente alto, e pode não ser viável, dependendo do tamanho do negócio que tem ou deseja criar, ou da quantia que é capaz de investir nesse momento.

 

2. Fazer você mesmo

Demanda tempo. Muito tempo. Afinal, você estará ali de corpo presente, conversando com o entrevistado, seja por vídeo chamadas ou áudios e até mesmo um Messenger convencional (no caso de negócios físicos, demanda ainda mais tempo, pois você literalmente é necessário correr atrás das pessoas para obter respostas, rs).

Ainda assim, o resultado é muito interessante, pois você tem a oportunidade de estar frente a frente com seu cliente ou propenso cliente, analisar os dados prontamente, e avaliar se sua conduta ou perguntas são realmente eficazes para o objetivo que deseja atingir.

Eu recomendaria realizar esse tipo de pesquisa com as primeiras turmas de seu curso, ou ainda, quando tiver uma turma reduzida. Irá estreitar seu laço com esses clientes, além de auxiliar a fideliza-los - uma maneira diferenciada de obter feedback.

 

3. Pesquisas on-line ‘gratuitas’

Para um empreendimento digital, é a mais recomendada e com certeza a que mais utilizaremos, devido a praticidade e a escalabilidade que ela possui.

 

Além do Google Forms, existem diversas outras plataformas, com planos gratuitos e pagos que oferecem diferentes formas de personalizar e ramificar as perguntas da pesquisa, para torna-la mais interativa e fácil de ser respondida, além de possuir algumas ferramentas de apoio para análise estatístico.

 

Felizmente, para pesquisar um público alvo, temos diferentes meios e ferramentas parra escolher. Já para outros aspectos do negócio, como concorrência e investimentos, ainda não é recomendável substituir a observação, relatório, interpretação e análise.


Mas o mais importante, é que você realmente possa tomar decisões com base em fatos sólidos e aplicar mudanças, quando necessário, de maneira consciente e planejada.

Suposições e palpites só funcionam bem em... Existe algum lugar que funcionem realmente bem???

 

Espero que o conteúdo de hoje te auxilie a traçar novas metas e estratégias para a estrutura do seu negócio digital e do seu curso. Participe nos comentários com sua dúvida ou sugestão e não esqueça de compartilhar com seu colega empreendedor que pode se beneficiar desse conteúdo.

 

Abraços,

Priscila