O que podemos aprender com o escândalo Cambridge Analytica?

O que podemos aprender com o escândalo Cambridge Analytica?

Se por um acaso o nome não tocou um sino por aí, estou me referindo ao App de teste de personalidade integrado ao Facebook, que “vazou” dados de milhares de usuários do Face.

 

As medidas aparentemente drásticas tomadas pelo Facebook para prevenir situações como essa é para nos fazer refletir ao menos um pouco sobre nossos negócios e estratégias digitais.

 

Já volto a falar sobre isso, primeiro, vamos entender um pouco sobre essas medidas.

 

Desde o dia 04 de Abril, o Facebook, que também é dono do Instagram, começou a trabalhar para desativar TODAS automações realizadas por ferramentas externas dentro do Insta.

 

Isso quer dizer que, caso você assine algum serviço de monitoramento de redes sociais, é provável que logo não conseguirá mais realizar automaticamente às seguintes ações:

 

- Seguir e deixar de seguir pessoas

- Curtir e deixar de curtir publicações

- Seguir uma lista específica de pessoas ou uma pessoa que segue uma lista específica

- Postar e deletar comentários em conteúdos, públicos ou próprios

- Ler informações de um perfil público ou salvar suas imagens

- Receber notificações de quando uma pessoa específica posta.


 

Diversas empresas, pequenas e grandes, que tem uma estratégia baseada nas ações acima já estão sendo afetadas e com certeza, as empresas que criam e vendem esse tipo de ferramenta, também.

 

Vivemos na era da informação, da tecnologia. Nunca, tudo foi tão acessível e cheio de possibilidades como hoje, graças, em partes, ao próprio mundo virtual.

 

Uma atitude radical por parte de um dos líderes desse mercado (Facebook), retirando uma facilidade já disponível há um bom tempo, me fez sentir como se todos fôssemos crianças no mercado digital.

 

Que fique bem claro, apoio cada decisão tomada e acredito que no futuro essas decisões podem ser modificadas, quando a segurança estiver maior e nossos hábitos melhores também.

 

Ainda assim, a impressão de que realmente precisamos aprender algo e rever alguns pontos de estratégia, não pode passar batido com essa experiência.

BRASIL_Pinterest_3.jpg

 

E refletindo sobre tudo isso, cheguei a conclusão de que esse episódio reforça, na verdade, aplicações de ideais, princípios e estratégias saudáveis, que todos nós deveríamos buscar em nosso negócio digital.

 

1. Manter distância de Métricas da Vaidade

 

Já falei e repito. Números enormes de seguidores e curtidas não é a mesma coisa que vendas, receita e lucro.

 

Esses três últimos mantém um negócio de pé. Seguidores e curtidas mantém apenas o ego de pé.

 

Se você não desenvolveu um trabalho de pesquisa sobre o seu cliente, é bem provável que tenha uma audiência não tão bem qualificada, o que significa que nem todo mundo ali esteja de fato interessado ou disposto a COMPRAR algo de você.

 

O relacionamento inicial no Instagram é basicamente construído a base de seguir ou seguir de volta. Tenho conhecimento de pessoas que literalmente pagam agências e social medias com esse único objetivo (sem contar nas API’s específicas para isso).

 

E agora, com as novas regras, isso está acabado.

 

Será uma grande oportunidade ao meu ver, para os negócios que aproveitarem o momento para correr atrás de métricas que se transformem em dinheiro, um resultado concreto que nós precisamos.

 

 

2. Não depender somente de redes sociais e canais de terceiros

 

Presença digital é necessário, mas nada substitui ter o seu site ou blog, e mantê-los alimentados e atualizados.

 

As pessoas passam muito mais tempo nas redes sociais, é verdade, mas é lá no seu domínio que você dita as regras.

 

Em “terreno alugado” não temos controle sobre as regras, elas mudam e precisamos nos adaptar, essa situação é um excelente exemplo disso.

 

Aproveite a oportunidade para pensar como você pode reforçar sua estratégia nesses canais.

 

O blog e a lista de e-mail não morreram, por mais que para muitos, pareçam um pouco fora de moda.

 

Eles ainda podem ser seu grande trunfo em terras digitais.

 

3. Investir em uma comunicação humanizada  


 

Como já dizia Elton Euler, a única coisa que seu cliente vê é a sua mensagem.

 

Seu cliente talvez nem tenha ficado sabendo do escândalo da Cambridge Analytica ou sobre as novas regras de automação do Instagram.

 

Mas ele fica sabendo do que você fala para ele, quando e como. É isso que te faz fechar vendas e negócios.

 

É isso que movimenta seu relacionamento com eles. Sua mensagem.

 

Se ela for adequada ao seu público, se você estiver falando na linguagem deles e principalmente, falando o que faz sentido para eles, podem todas as regras de todas redes sociais modificarem, a vida do seu negócio estará garantida.


 

Sobrevive quem tem a melhor capacidade de se adaptar. No mercado digital não é diferente.

 

Quanto melhor estiver estruturado as fundações do seu negócio - em ideais e estratégias sólidas - melhor você poderá se adaptar as mudanças, esperadas ou não, não importa de onde elas venham.


 

Para mim, essa foi a grande lição que fica com essa história toda. E para você? Qual sua opinião sobre o caso? Conta para mim ;)


 

Abraços,

Priscila



3 maneiras de se inspirar quando construir seu curso online

3 maneiras de se inspirar quando construir seu curso online

4 sinais que você sofre com o medo do sucesso

4 sinais que você sofre com o medo do sucesso