Razões poderosas para cobrar caro pelos seus cursos

Razões poderosas para cobrar caro pelos seus cursos

Você já olhou para outros coaches ou empreendedores de sucesso e pensou consigo mesmo: "Eu adoraria para cobrar preços mais altos como eles, mas eu estou com tanto medo dele! Já não tenho clientes cobrando barato como cobro, se aumentar meus preços imagine como vai seria!"?

 

Há também o pensamento comum, "O que as pessoas vão pensar de mim se eu cobrar preços elevados?" e "Os preços elevados significa que eu não estou ajudando um monte de gente. Não, não posso fazer isso. Não sou elitista!"

 

Todos esses pensamentos são bastante normais, especialmente para quem empreende nos mundos de coaching, consultoria e mentoria. No entanto, o fato desses pensamentos afligirem tantas pessoas — em particular, aqueles que não estão indo bem em seus negócios — não significa que você não deva questioná-los.

 

Primeiro, quero que saiba que não estou de maneira alguma zombando ou sendo irônica com essas perguntas acima que as pessoas se fazem. Acredite, entendo que é difícil passar por isso porque já estive neste lugar. Quando entrei no mercado brasileiro com a Academia de Cursos On-Line no ano passado e decidi o valor do investimento, levei muitas coisas em consideração, e "assumir" o valor que decidi cobrar pelo curso não foi uma tarefa nada fácil para mim.

 

Como a maioria das pessoas, eu também tenho o que costumo chamar "uma história" e "crenças" na minha relação com o dinheiro que precisavam ser trabalhadas na minha cabeça. Mas também fui determinada e feroz sobre os meus objetivos de renda no primeiro lançamento, lançamentos subsequentes, e como eu queria me posicionar no mercado.

 

Ainda assim, fiz uma tonelada de cálculos, levando em conta o valor do que estava entregando e a qualidade do que eu estava oferecendo, especialmente em comparação com o que era predominante no mercado brasileiro. 

 


Queria justificar para mim mesma esse preço de forma lógica, antes que pudesse me sentir empoderada o suficiente para fazê-lo. E foi no ponto de não poder mais adiar a escolha do valor do meu curso, porque era hora de lançar, que finalmente percebi o quão real era aquilo que já tinha ouvido um milhão de vezes antes:


1. dinheiro é energia
2. preço é de questão de mindset

 

A verdade é que dinheiro será sempre um ponto de objeção inicial para as pessoas, não importa se você cobrar R$10 ou R$100 mil. "Barato" e "caro" será sempre uma questão de perspectiva e de mindset para todas as partes envolvidas. Além disso, o dinheiro sempre será um ponto de objeção por uma série de razões—dentre elas o tipo de pessoas que você atrair, sua falta de firmeza em mostrar o verdadeiro valor do que você está oferecendo, etc.

 


E então o que você diz? Está pronto(a) para desafiar aqueles pensamentos negativos ou crenças limitantes que pode estar tendo sobre cobrar um valor alto pelo seu trabalho? No vídeo de hoje, te mostro algumas razões super-poderosas que explicam porque cobrar valores altos é uma boa decisão de negócios e espero que te ajudem a ter os insights e inspiração que precisa para desafiar as crenças que podem estar te empacando.

 


(Ah, e continue lendo o artigo abaixo do vídeo para ler sobre uma razão bônus que acabei esquecendo de compartilhar no vídeo—e acredite, essa razão é matadora!).
 

Agora que você já assistiu ao vídeo, aqui estão mais duas razões de bônus sobre porque você deve cobrar valores de investimento altos:


1. Para estabelecer a sua preeminência.

Como o meu mentor e maior autoridade em liderança do mundo, John C. Maxwell, diz, "Liderança é influência. Nada mais, nada menos." E a influência é sempre sentida numa escala muito mais ampla (e se espalha mais rapidamente, também) quando sua direção é de cima para baixo—não quando parte de baixo para cima.

 

Isto significa que se você trabalhar desde o princípio com clientes "high-end," estará trabalhando com os realizadores, líderes e influenciadores que estão bem posicionados para te conectar com pessoas como elas.

 

Mais portas podem se abrir e sua mensagem para o mundo pode se espalhar muito mais rapidamente quando você está conectado com os líderes influentes do que quando você está tentando alcançar as massas.

 

Curiosamente, quando você tenta atingir as massas primeiro, o cenário mais comum que aflige tantos no mercado acaba sendo esse: você fica na luta constante para conseguir pagar as contas, com dificuldade em prosperar e fazer a diferença que quer realmente, e alcançar aqueles que estão no topo influenciando o mercado fica parecendo cada vez mais um sonho impossível.

 

Em contraste, quando trabalhamos primeiro com quem já está no topo da pirâmide, fica muito mais fácil de alcançar aqueles que estão no meio e na base em muito menos tempo e com muito mais eficácia. 


Liderança é influência. Nada mais, nada menos.
— John C. Maxwell

Se isso não faz sentido para você ainda, considere: o que é mais fácil? Nadar 50m contra ou no mesmo sentido que a correnteza em um rio? Com certeza, nadar no mesmo sentido, porque se gasta menos energia e ainda temos a vantagem de poder alavancar a velocidade e força da correnteza para potencializarmos nossa performance.

 

2. Lembre-se que eu disse que o dinheiro era energia? Bem, ele também é apenas uma ferramenta.

Dinheiro, por si só, não é nem bom nem mau. Não é nem a "fonte de felicidade", nem a "raiz de todos os males" no mundo. É simplesmente uma ferramenta, e como qualquer ferramenta, ele pode ser usado para o bem ou o mal. O dinheiro simplesmente revela e amplia o caráter das pessoas.

 

Se uma pessoa mau caráter, ou de caráter questionável, tem acesso, ganha ou faz muito dinheiro, ela será mais propensa a fazer coisas ruins, como usá-lo de formas ilícitas ou para fins corruptos. Da mesma forma, se uma pessoa que quer mudar o mundo e fazer a diferença tem acesso, ganha, ou faz muito dinheiro, ela vai encontrar maneiras maravilhosas para fazer um bem incrível no mundo com este recurso.

 

Assim, se você esteve se auto-sabotando, ou sabotando seu negócio, devido ao "bloqueios com dinheiro", crenças limitantes, ou julgamentos negativos sobre aqueles que têm muito dinheiro ou que cobram preços elevados com confiança, reavaliar o significado que você dá ao dinheiro e passar a vê-lo como uma ferramenta pode ajudá-lo a mudar o seu pensamento de uma forma mais positiva.


Ok, agora que você já assistiu ao vídeo e leu as duas razões bônus acima, me diga: o que você acha de verdade dessas razões? Concorda? Discorda? Elas são atraentes o suficiente para fazer você desafiar o status quo quando se trata da sua visão de preços e valores de investimento? Ou ainda não está convencido(a)?

 

 

Se você já fez a mudança para valores altos, seja no trabalho que realiza ou nos cursos que vende, como foi sua jornada, e como isso mudou sua vida e os seus negócios?

 

Te convido a compartilhar seus comentários, pensamentos e experiências sobre o tema. Sinta-se livre para ser honesto, já que este é um espaço seguro onde podemos ajudar e apoiar uns aos outros e os maiores insights que você ou outra pessoa pode ter, podem vir do que foi compartilhado nos comentários.

 

Abraços,

Priscila



O que Michael Phelps pode te ensinar sobre seus negócios

O que Michael Phelps pode te ensinar sobre seus negócios

O que é mindset, e como mudar ou fortalecê-lo?

O que é mindset, e como mudar ou fortalecê-lo?