Você oferece preço ou valor?

Você oferece preço ou valor?

Já falei sobre precificação em outras oportunidades, mas acredite, monetizar um produto digital é algo que sempre rende uma boa conversa.

 

Hoje vou falar sobre um tópico bem específico dentro desse tema: a competição de preços no mercado, e porque utilizar esse fator para se destacar pode ser uma péssima ideia.

 

Mas se você tem dúvidas sobre como precificar seu curso online, por exemplo, pode saber mais sobre isso aqui: Como precificar seu curso .

 

Ou se já possui um produto rodando, está prestes a lançar, também pode se aprofundar nesse vídeo aqui: Porque você deve cobrar caro pelo seus cursos .

 

Meus alunos da Academia de Cursos Online sabem que sou adepta de tickets altos, desde que o curso seja produzido e entregue com qualidade. E esse valor fica ainda maior, proporcional a sua participação e envolvimento com os alunos, somado a transformação que seu produto oferece.

 

Entretanto, salvo raríssimas exceções, não estamos sozinhos no mercado. É bem provável que exista outras pessoas que entregam algo semelhante ao que você faz e ensina.

 

Isso gera insegurança em um grande número de empreendedores digitais que acabam optando por baixar o preço do seu produto, especialmente se estiver dando seus primeiros passos, na esperança de conseguir se posicionar no mercado de alguma forma.

 

Isso é um TREMENDO erro, especialmente para seu posicionamento. Conheça abaixo três motivos pelos quais você jamais deve usar seu preço para competir.

 

Motivo 1

 

Atrair pessoas que só querem o maior desconto e querem negociar seu valor.

 

Um dos principais pontos de empreender digitalmente é a oportunidade de escalar vendas, o que é possível graças a automação de processos que a internet nos permite.

 

Ao contrário de uma loja física, por exemplo, você não precisa investir tempo fechando vendas uma a uma, já que nossas ofertas são quase sempre feitas através de vídeos, e-mails, e outras ferramentas que nos permitem ofertar simultaneamente para quantas pessoas for possível.

 

Mas se engana quem acredita que é somente colocar um vídeo no ar explicando tudo e esperar a mágica acontecer.

 

Na maioria das vezes, de fato é isso que acontece, mas existe um número grande de potenciais clientes que entrarão em contato com você, com as mais diferentes demandas – muitas vezes até mesmo perguntando coisas que você já havia exemplificado no seu vídeo de vendas, por exemplo.

 

E está tudo bem isso acontecer. Faz parte do negócio e é importante.

 

Só deixa de ser importante, quando esse potencial cliente passa a crer que seu preço é negociável. E por incrível que pareça, quanto mais baixo o preço, mais essas pessoas acreditam que podem conseguir uma “fatia” maior de desconto.

 

Tickets altos, dificilmente atraem pessoas com essa mentalidade. Um produto com valor alto demonstra a que veio, e atrai pessoas certas para a compra, as que conhecem a diferença entre gastar e investir.

 

Portanto, fique atento a esse detalhe.

 

Motivo 2

 

Você pode machucar sua credibilidade sendo barato - ou barato demais.

 

Se um ticket alto atrai as pessoas com a mentalidade certa, o contrário também é verdadeiro. E talvez, você mesmo, como empreendedor digital, seja um exemplo disso.

 

Você sabe o trabalho e o investimento necessário para criar um curso online de qualidade e manter um negócio digital rodando, então reflita: quantas vezes já teve interesse por um produto, mas quando viu que o mesmo tinha um preço baixo, suspeitou?

 

Afinal de contas, conhecendo os bastidores do mercado, ao encontrar produtos baratos nos questionamos quase que automaticamente: onde está o truque? Qual será o cavalo de Tróia por trás dessa oferta?

 

As pessoas – assim como você - acreditam naquele ditado “você recebe aquilo que paga”.

 

Mesmo que seu público não seja de empreendedores, considere se ele também enxerga valor antes de preço ao precificar o seu próprio produto. 😉

 

Motivo 3

 

Você tende a atrair clientes que não veem valor no que você entrega, mesmo quando você entrega o maior valor possível.

 

Afinal de contas, entre os clientes que suspeitam de produtos com baixo preço e aqueles que gostam de pechinchar, todos – eu, você e eles – temos algo em comum.

 


Valorizamos e nos comprometemos mais com aqueles investimentos que nos são altos.

Da mesma maneira que é comum usar cofres de bancos para guardar joias preciosas ou altas apólices, por exemplo, engajamos de fato com cursos de preço alto, pois a necessidade de retorno no investimento de um curso assim, é muito maior.

 

Quantos cursos você já comprou e não concluiu? E quantos deles possuem um ticket acima de 2000 reais, por exemplo?

 

A resposta da maioria das pessoas para essa pergunta, é nenhum, acredite.

 

E graças a essa prática, muitas vezes inconsciente, o valor que seu curso entrega, pode passar despercebido.

 

Lembre-se: práticas e conhecimentos que não possuem preços adequados, são os primeiros que amontoamos na prateleira do dia a dia e da rotina. Os primeiros a serem esquecidos.

E isso é péssimo para a sustentabilidade de qualquer negócio. Então pense nisso - quando o diferencial está na sua proposta e não no quão barato você é, você atrai clientes que reconhecem seu valor, são gratos, colocam em prática e fazem a transformação que você propõe, acontecer.

 

Espero que o artigo de hoje te encoraje a precificar seu curso de acordo com o valor que ele realmente tem. Me conte depois como foi esse processo para você, vou adorar saber.

 

Abraços,

Priscila



Quer clientes que pagam? Então seja esse tipo de pessoa!

Quer clientes que pagam? Então seja esse tipo de pessoa!

3 dicas para construir uma oferta de sucesso

3 dicas para construir uma oferta de sucesso